sexta-feira, 3 de abril de 2009

Os Mais Patetas

Leiam a reportagem do Estadão. Volto depois


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quinta-feira, após a cúpula do G20, que pretende entrar para a história como o primeiro presidente brasileiro que emprestou dinheiro para o Fundo Monetário Internacional (FMI): "Gostaria de entrar para a história como o presidente que emprestou alguns reais ao FMI".

Na reunião em Londres, Lula e os demais líderes do G20 chegaram a um acordo para que US$ 1,1 trilhão seja usado para combater a crise financeira global. A maior parte do dinheiro deve ser destinada ao Fundo.

Em entrevista coletiva, Lula e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, não revelaram o valor que o Brasil vai destinar ao órgão internacional de crédito. Segundo eles, o Brasil está em negociação com o FMI para que o dinheiro para o Fundo seja na forma de um empréstimo, para que as reservas do país não diminuam. "Vocês não acham chique emprestar dinheiro para o FMI? O Brasil hoje tem solidez", afirmou o presidente.

Lula descreveu a cúpula do G20, grupo que reúne as maiores economias do mundo e os principais países emergentes, como um momento muito importante para o futuro da humanidade.

"Pela primeira vez, os países chamados desenvolvidos se colocaram em pé de igualdade com os que estão em desenvolvimento", afirmou.

O presidente acrescentou que houve "momentos de tensão e discussões calorosas" durante a cúpula, mas que os líderes do G20 conseguiram chegar a um consenso.

"Essa foi a reunião que eu mais saí gratificado pelo fato de que as pessoas compreenderam que o momento é de prudência e ousadia política", completou Lula.


Ai, meus sais! Porque todo socialista e todo comunista é um mentiroso contumaz?

Para os mais patetas - prestem extrema atenção, por favor - uma pequena lição de História: O Brasil sempre foi cotista do FMI, desde a sua fundação em 1944. Quando o nosso paspalhão-mor fala em "emprestar" dinheiro ao FMI, tudo não passa, como sempre, de uma parvoíce.

O FMI, que hoje conta com 182 países-membros, nasceu um ano antes de Lula, durante a Conferência de Bretton Woods (New Hampshire), nos Estados Unidos, ocorrida entre 1 e 22 de julho de 1944, onde foram discutidos e aprovados os Articles of Agreement (Estatutos) constitutivos do Fundo Monetário Internacional e do Banco Internacional para a Reconstrução e o Desenvolvimento (BIRD, vulgo "Banco Mundial"). O Brasil estava lá, junto com outros 43 países fundadores e até hoje já "emprestou" U$ 3 bilhões de dólares para o organismo, detendo 1,40% do total de dinheiro que o fundo possui.

O que Lula irá fazer - como todos os outros países que participaram da reunião do G-20 - nada mais é do que um aporte de capital que em nada fará com que haja perda de participação. Pelo contrário, poderá, dependendo do aporte, aumentará a participação brasileira no Fundo.

Mas é falsa, total e completamente falsa, a mensagem que ele tenta passar aos mais patetas de que será o primeiro presidente a "emprestar" dinheiro ao Fundo. Mesmo porque o FMI não é um ente tomador de recursos. É um fundo criado por sócios para socorrer aqueles que enfrentam dificuldades. Assim, é ele é quem empresta dinheiro.

Um comentário:

Blog do Ferra Mula disse...

Weiss, Seu blog encontra-se entre os meus favoritos já há algum tempo, pela sua convicção na análise dos fatos.

Um abraço do Airton